08 fevereiro, 2012

ÍNDIA (Delhi, Samode, Jaipur, Agra, Orchha, Khajuraho, Varanasi, Mumbai, Goa)

"A pobreza da Índia atingiu-me como um martelo”, in “Seis Suspeitos”, do indiano Vikas Swarup, pág. 245. 

No verão de 2010 viajámos para longe e fomos à descoberta da Índia. Sendo o sétimo maior país do mundo, logo, impossível de todo conhecer em escassos quinze dias, optámos pelo programa “Índia Clássica”, que nos levou às cidades mais emblemáticas do norte e a Goa. 
Iniciámos a viagem em Nova Deli, e seguiram-se Samode, Jaipur, Agra, Orchha, Khajuraho, Varanasi, Goa e Mumbai
Não estávamos preparados para encontrar uma das maiores economias do mundo, e o segundo mais populoso país, devastado pela carência. Não estávamos preparados para encontrar cidades com milhões de habitantes a viver numa pobreza extrema, numa sujeira chocante. 
A primeira impressão à chegada a Delhi foi brutal! 
Só ali vivem cerca de 22 milhões de habitantes e o caos é a todos os níveis: ruas buliçosas, edifícios apinhados, engarrafamentos intermináveis, barulho ininterrupto de apitos e buzinas, montanhas de lixo, um movimento alucinante de cabras, vacas, búfalos, gente, muita gente. Não há semáforos, não há sinaleiros, não há separadores nas estradas, não há passadeiras para peões. A buzina resolve todas as confusões e os condutores são, não tenho quaisquer dúvidas, os melhores do mundo. À excepção de Goa, o caos mantém-se em todas as cidades visitadas.

(Leia mais aqui.)






























1 comentário: